Governo incorpora regência e salário de professor ultrapassa o piso nacional



A Assembleia Legislativa aprovou nesta sexta-feira, 26,  a incorporação da regência de classe dos professores ao salário base. O Amapá era o único Estado da Federação que pagava 100% de regências aos docentes que estão atuando em sala de aula.

A gratificação era destinada aos professores que atuavam, exclusivamente, em classe e àqueles que exerciam a docência como Coordenador Pedagógico nas unidades escolares da rede pública de ensino. Com a medida, professores da rede pública têm assegurado em seu salário base o valor da regência, que, antes, poderia ser retirado ao deixar de exercer atividades em sala de aula e ao se aposentar.

Com isso, o Governo do Estado valoriza a categoria, já que, a partir de agora, os professores da rede pública estadual poderão assumir cargos de diretor, adjunto e secretário escolar sem ter perdas.

Outra vantagem da incorporação da regência é para professores do ensino especial, que ganham gratificação de 10% sobre o salário base. Com a medida, o valor dessa gratificação será dobrado. O mesmo ocorre com os docentes que ganham parcela compensatória de 15%.

A incorporação da regência ainda irá beneficiar aqueles professores que buscam qualificação, uma vez que, mesmo fora de sala de aula, não irão mais perder o benefício.

Salários

Conforme pesquisa publicada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o Amapá é o segundo Estado da Federação que melhor remunera seus professores do ensino público, nível médio. O Amapá aparece em 2º lugar, com remuneração, nível médio, de R$ 2.344,68, e nível superior, o Estado fica em 4º lugar, pagando uma remuneração de R$ 2.940,22 aos professores.

(Agência Amapá)

0 Comentários em "Governo incorpora regência e salário de professor ultrapassa o piso nacional"

Postar um comentário

Comente