Histórias do Amapá

Baseado em fatos reais ocorridos em Macapá (a cidade das falcatruas).  

Era uma vez uma bela moça que se chamava SOL. Mulher esforçada, mãe, filha, irmã, amiga e chefe de família. SOL passava por um momento muito difícil na sua vida, pois com a morte do pai as coisas ficaram bem difíceis, então ela e sua irmã FLORZINHA tinham que trabalhar muito para dar conta da despesa da casa.  

Mesmo diante das dificuldades, SOL, não media esforços, trabalhava incansavelmente, eram dois empregos, os quais SOL se dividia em três expedientes, todos os dias saia de casa as 7:30h e só retornava as 23:30 horas. Mesmo cansada, SOL, não desistia e nunca deixou a desejar em nenhum dos seus trabalhos.  

Mas neste mundo cheio de pessoas egoístas e invejosas, havia uma pessoa, que era a pior delas, a FEITICEIRA, essa era perigosa. Ela sempre conquistou as coisas através do corpo, desde o marido aos empregos. Sendo que o marido, todos sabem que tem outra na rua, assim como ela que têm outros e outros.  

A FEITICEIRA infelizmente resolveu encrencar com SOL, fazendo de tudo para prejudicá-la. Sem motivos a FEITICEIRA criou raiva do brilho de SOL, creio que tenha sido por inveja. Como vingança ela mandava SOL fazer viagens a trabalho para lugares distantes, pensando que iria prejudicá-la no outro emprego, mas não. As viagens fizeram SOL brilhar ainda mais, porque de todos os lugares que ela vinha, trazia material que atendia os dois empregos.  

As viagens de SOL fizeram ela brilhar ainda mais e a FEITICEIRA criou um ódio tão grande, mais tão grande que começou a procurar qualquer motivo que fosse para demitir SOL.  

Infelizmente SOL estava em desvantagem, porque a FEITICEIRA, havia conquistado o patrão com seus dotes sexuais. Todos no trabalho sabiam, os comentários eram constantes e tinha gente que até já tinha presenciado.  

Mas na primeira tentativa de demitir SOL, os colegas conversaram com o CHEFÃO e ele acabou voltando atrás. Mas a FEITICEIRA ficou tão indignada, que traçou planos maléficos que acabaram atingindo SOL. 

SOL sofreu tanto em ter que deixar o emprego. Sofreu pela falta que o salário iria fazer a família que passava por sérias dificuldades financeiras, mas sofreu ainda mais porque ela amava trabalhar naquele local. Ali era a vida de SOL, onde ela fazia tudo com o maior amor e dedicação nunca visto na história daquela empresa.  

SOL quase entra em depressão, mas a fé e confiança em Deus não permitiram, afinal, ela tinha uma família que dependia dela.  

Hoje SOL continua trabalhando naquele que era seu segundo emprego e tornou-se o primeiro, local onde ela é bastante valorizada.  

Mas SOL nunca conseguiu esquecer o sofrimento que passou e essa magoa que se transformou em ódio, fazendo muito mal para SOL.  

Já a FEITICEIRA acabou não ficando na tal empresa, e hoje continua conseguindo seus “empregos” por causa das indicações sexuais.  

Mas uma coisa é certa, a justiça de Deus não falha. Às vezes demora um pouco, pois acontece no tempo dele, mas nunca falha!  

Por Lílian Guimarães.

2 Comentários em "Histórias do Amapá"

  1. Anônimo Falou:

    POIS BEM SEI QUEM É ESSA PESSOA REPUGNANTE. ALINNE

    Anônimo Falou:

    ESSA É PERIGOSA! SAL

Postar um comentário

Comente