Encontro da Juventude é palco de protestos contra o Novo Código Florestal Brasileiro



"A aprovação do Novo Código Florestal representará o maior retrocesso da legislação ambiental brasileira. O Governo do Amapá é contra qualquer instrumento que crie incentivos para o aumento do desmatamento. Nossas políticas são focadas na sustentabilidade. Estamos trabalhando veemente para mantermos nossa floresta em pé", afirmou a diretora-presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Ana Euler.

As discussões sobre o Novo Código Florestal abriram o "Encontro da Juventude Amapaense para a Rio+20", realizado nesta terça-feira, 24, no Campus II da Universidade do Estado do Amapá (Ueap).

A diretora-presidente do IEF e o secretário de Estado do Meio Ambiente (Sema), Grayton Toledo, apresentaram as implicações que a aprovação do Novo Código poderá trazer ao Estado. O debate foi mediado pelo secretário extraordinário de Políticas para a Juventude (Sejuv), Alex Nazaré.

Os questionamentos sobre o tema marcam o protesto para a votação do Novo Código Florestal, que ocorre hoje, no Plenário da Câmara Federal, em Brasília. Em razão disto, as entidades envolvidas no evento promoveram um protesto simbólico contra o artigo 13 da nova lei. Além das palestras, houve distribuição de panfletos e exposição de faixas com mensagens que mostram a insatisfação da população amapaense com os mecanismos do Novo Código.

Para diretora Ana Euler, a aprovação do Código é o mesmo que olhar pelo retrovisor e anistiar quem desmatou, ou seja, apoiar os crimes ambientais. "A necessidade de termos legislações que protejam nossa natureza vem de centenas de anos. O Brasil construiu um vasto arcabouço de proteção e agora querem destruir", enfatizou Euler.

O secretário de Estado do Meio Ambiente complementou destacando que todos fazem parte desta discussão. "De acordo com dados do Serviço Florestal Brasileiro, o Brasil possui 60,7% de florestas. Precisamos ter um olhar enquanto cidadãos, pois temos a responsabilidade de cuidar do potencial que possuímos. O Amapá precisa reagir em prol das nossas florestas", finalizou Grayton.

O Encontro da Juventude também proporcionou debates norteados por três eixos temáticos: Educação para o Desenvolvimento Sustentável; Tecnologia e Inovação dentro da Sustentabilidade e Economia Verde e Mercado de Trabalho para a Juventude.

O resultado do encontro possibilitará a construção da Carta da Juventude, documento este, com os anseios e propostas sobre uma política de desenvolvimento sustentável que inclua o jovem, que será copilada a Carta do Amapá, a qual será apresentada na Rio+20.

A Rio+20

O Fórum das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, batizado de Rio+20, ocorre de 13 a 22 de junho, no Rio de Janeiro (RJ). Trata-se de uma série de conferências onde líderes de Estado formatarão a proposta para reafirmar o compromisso mundial para as políticas de desenvolvimento sustentável, que proporcionem a redução das desigualdades sociais e a erradicação da pobreza. A Rio+20 também fará uma avaliação dos avanços (ou retrocessos) desde a Eco-92, o primeiro fórum sobre desenvolvimento sustentável do planeta.

Lílian Guimarães

0 Comentários em "Encontro da Juventude é palco de protestos contra o Novo Código Florestal Brasileiro"

Postar um comentário

Comente