Felipe Cordeiro = talento e personalidade



Com dez anos de carreira e no auge dos seus 27 anos, Felipe Cordeiro, é enfático em cada show: “Sinto como se estivesse começando!” 
 
Premiado em mais de 40 festivais pelo Brasil inteiro, e gravado por vários interpretes da MPB e Rock, Felipe Cordeiro, mostra que vai muito longe.  
 
A apresentação em Macapá, durante o Festival Quebramar, com Aíla e Manoel Cordeiro, foi apenas um aperitivo do que essa potência musical tem para mostrar para o Mundo inteiro.  
 
 
 
 
Música na veia: 
 
Sim! É como sangue que corre na veia. Mal saiu da infância e aos onze anos, Felipe, entrou na Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA), onde estudou piano, teoria musical e bandolim. E aos quinze, ingressou na faculdade de Filosofia, da UFPA, curso no qual é graduado em Bacharelado e Licenciatura.  
 
Gerando frutos: 
 
Até então sua carreira era voltada exclusivamente para a composição, várias canções e parceiros foram feitos, disso resultou um disco (de compositor) chamado Banquete, no qual vários intérpretes e arranjadores foram convidados.  
 
Depois do contato com o teatro surgiu o interesse de assumir a interpretação das suas músicas, e juntamente com suas reflexões acerca da música brasileira, seu som foi ganhando uma assinatura muito específica e criativa. Desde então, um humor, por vezes ácido, e uma necessidade aguda de experimentar sonoridades, além de poéticas, em torno da música popular, tornou-se um imperativo.  
 
O Kitsch Pop Cult é o primeiro disco de Felipe Cordeiro enquanto artista (cantor/músico/compositor). Disco que tem como pretensão última relativizar noções, como as de “alta cultura” e “cultura pop”. O disco promove “elos” improváveis no mundo pop, o que garante à sua musica um caráter idiossincrático e inventivo. Referencias que vão desde o underground paulistados 80’ (a vanguarda de Itamar Assumpção, Arrigo Barnabé e Luiz Tatit são muito presentes), passando pelo flash brega, pelo carimbó/lambada de mestre Pinduca e Alípio Martins, até o atual eletromelody das aparelhagens alucinógenas de Belém. 
 
Felipe em 2012: 
 
Significa lançamento do disco Kitsch Pop Cult em São Paulo, Rio de Janeiro e em todo Brasil. Além de se apresentar mais uma vez no Sesc Pompeia em São Paulo.   
 
Quer mais? 
 
Em 2012 Felipe vai fazer a trilha sonora do primeira longa da cineasta paraense (recentemente premiada em Gramado), Jorane Castro. 
 
O rapaz é fera! 
 
Por Lílian Guimarães.

1 Comentários em "Felipe Cordeiro = talento e personalidade"

  1. Anônimo Falou:

    Parabéns Felipe, realmente o show que ele fez junto com a Aíla e o seu pai Manoel me surpreendeu bastante a sonoridade que saiu de seus acordes. Que 2012 seja maravilhoso para todos!

Postar um comentário

Comente