Um mergulho na Economia Verde



A oficina “Economia Verde”, de José Alberto Gonçalves Pereira, editor da área de Sustentabilidade da revista Página 22, no IV Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental (CBJA), foi um momento de aprofundamento para aproximadamente 25 participantes que buscavem entender um pouco mais sobre as mudanças que o mundo vem experimentando no tocante à economia em tempos de aquecimento global, crise de biodiversidade e outros.

Para situar os participantes, na primeira parte da oficina ele traçou um panorama histórico partindo do pós-guerra e concluiu essa etapa propondo um exercício de avaliação de um relatório de desempenho ambiental da empresa alemã de artigos esportivos Puma.

“Economia Verde é mais abrangente do que Economia de Baixo Carbono, pois implica promover processos limpos de produção e consumo que não agravem as tendências atuais de quebra das fronteiras ecossistêmicas planetárias”. Assim, na segunda etapa da oficina, Beto Gonçalves, como é mais conhecido no meio jornalístico, definiu essa nova abordagem, foco da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20), a ser realizada em junho do próximo ano.

Beto também destacou diferentes posições relativas ao tema e meios para viabilizá-la e, para encerrar a oficina, no anfiteatro da PUC-RJ, dividiu a turma em quatro grupos para um exercício de estudar tabelas e gráficos relativos aos temas energia e biodiversidade.

O debate foi enriquecido pela transdisciplinaridade do grupo, que incluía não apenas jornalistas, mais profissionais de áreas como Biologia e Arqueologia, que dividiram conhecimentos importantíssimos para a compreensão do momento de intensas transformações e desafios que vivemos. Maristela Crispim, especial para o IV CBJA

*Lilian Guimaraes ligado na Rede de Jornalismo Ambiental

1 Comentários em "Um mergulho na Economia Verde"

  1. Anônimo Falou:

    como tá o amapá? Fernandes.

Postar um comentário

Comente