Paizinho...

Daria tudo e faria tudo para ter você de volta, não tem dor que machuque mais ou saudade que torture mais do que sua ausência. Hoje quase quatro anos após sua morte, a dor que cresce em meu peito é cada vez mais avassaladora.

Pai vivo uma realidade que nunca gostaria de viver, desde o dia que perdi você. E quando eu digo você, não me refiro a um simples homem, mas um homem guerreiro e batalhador que sempre colocou a família em primeiro lugar. Venceu na vida, e criou suas duas filhas e neto em meio à dificuldade. Que fez das duas filhas, pessoas exemplares, honestas e justas. Viu cada uma crescer, estudar, vencer na vida e serem dignas de orgulho. Ajudou a criar seu neto Mateus, ensinando sempre o melhor caminho. Que sempre passou o melhor de si para todos e fez isso até o final.

É difícil lembrar-se do senhor sem se emocionar. Das nossas conversas, dos seus conselhos, da sua bondade, do seu sorriso infinito e do ser humano maravilhoso que sempre foi. Dos natais, em que você sempre fazia questão de reunir a nossa pequena família e celebrar a união. E principalmente dos exemplos de conduta, de moral, de vida, de ética que você sempre nos deu como, homem, esposo, pai e avô. Exemplos esses que são a maior herança que uma pessoa poderia deixar em vida. São tantas coisas, que é até impossível de descrever em palavras.

Pai o que dizer de alguém que sempre fez a vida parecer simples. Que encarou os problemas, as dificuldades de frente e nos mostrou que a solução pode ser bem mais fácil que parece, tendo a família por perto. O que dizer de alguém que, até os piores momentos levava na esportiva, sempre com um sorriso no rosto e a alegria no olhar. Você é único!!!

Uma estrela subiu ao céu e de lá, como sempre fez, tenho certeza que vai continuar olhando por nós e nos conduzirá ao melhor caminho. Não quero fazer dessas palavras acima, uma despedida, porque você estará sempre conosco. Seja através do sangue que corre na gente, seja através das nossas atitudes que refletem o que você foi, seja através das lembranças que você deixou. Não se mede o tamanho de uma falta em anos, após a morte do meu pai, a dor cresce e se agiganta. E quando desponta no calendário certas datas como aniversários, dias disso, daquilo, o negócio todo, inevitavelmente, explode.

Sempre tranqüilo, sereno, parcimonioso. Com ele, e com minha mãe, aprendemos a valorizar os pequenos presentes como grandes que realmente eram. Dificilmente elevava a voz. Dizia que não se deve falar de um compartimento a outro. Amava-nos imensamente, sem medidas.

Nunca falou mal de uma filha e sempre procurou contemporizar os desentendimentos familiares. Papai nunca pretendeu ser rico, está no centro do palco, nos holofotes, preferia os bastidores, onde atuava como conselheiro e amigo.

Foi o melhor amigo com quem contei. Alegra-me tê-lo ouvido diariamente nesses anos. Entristece-me saber que nos próximos não o terei. Volto a me alegrar quando percebo que sua lembrança, minha maior herança, jamais findará, por mais que eu a consume. Alegra-me saber que ele nunca morreu e continua vivo, em mim, no meu filho, em minha mãe, seus amigos e toda família... Pai eu sempre vou te amar...

Faço minhas as palavras do Padre Fábio de Melo: "Quando o sol ainda não havia cessado o brilho, quando a tarde engolia aos poucos as cores do dia, e despejava sobre a terra os primeiros retalhos de sombra, eu vi que Deus veio sentar-se perto do fogão de lenha da minha casa. Chegou sem alarde, retirou o chapéu da cabeça e buscou ali um copo de água, no pote de barro, que ficava em um lugar de sombra constante. Ele tinha feição de homem feliz, realizado, parecia imerso na alegria que é própria de quem cumpriu a sina do dia, e que agora recolhe a alegria cotidiana que lhe cabe".

"Eu olhava e pensava: Como é bom ter Deus dentro de casa! Como é bom chegar a essa hora da vida em que eu tenho direito de ter um Deus só para mim. Cair nos seus braços, bagunçar-lhe os cabelos, puxar a caneta do seu bolso e pedir que ele desenhasse um relógio bem bonito no meu braço. Mas aquele homem, aquele homem não era Deus, aquele homem era o meu pai. E foi assim que eu descobri que pai com seu jeito finito de ser Deus, revelava-me Deus, com seu jeito infinito de ser homem".

Essa música dedico a você Papai...


Amor pra recomeçar - Frejat
Eu te desejo
Não parar tão cedo
Pois toda idade tem
Prazer e medo...
E com os que erram
Feio e bastante
Que você consiga
Ser tolerante...
Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...
Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Prá recomeçar...
Eu te desejo muitos amigos
Mas que em um
Você possa confiar
E que tenha até
Inimigos
Prá você não deixar
De duvidar...
Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...
Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Prá recomeçar...
Eu desejo!
Que você ganhe dinheiro
Pois é preciso
Viver também
E que você diga a ele
Pelo menos uma vez
Quem é mesmo
O dono de quem...
Desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar...
Eu desejo!
Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Prá recomeçar
Prá recomeçar...


Feliz Dia dos Pais!!!

Te amo!

Por Lílian Guimarães.

0 Comentários em "Paizinho..."

Postar um comentário

Comente