Vale à pena assistir!

O filme “O contador de histórias” é simplesmente mágico, nos primeiros 20 minutos é bem monótono, mas, depois me surpreendi com uma história fantástica.

Realidade, criatividade e sensibilidade podem definir o filme. Apesar de não haver nenhuma super produção e ser brasileiro, é bem dirigido e mostra claramente, a realidade do Sistema de recuperação dos menores e adolescentes do nosso Brasil. Principalmente, pela falta de preparo dos condutores e ausência de políticas sociais, concretas, que possam oferecer a chance de um futuro melhor para os adentram na Instituição.

O Contador de Histórias, filme de Luiz Villaça baseado na vida do mineiro Roberto Carlos Ramos, é a história de como o afeto pode transformar a realidade. Caçula entre dez irmãos, aos 6 anos, o menino cheio de imaginação é deixado pela mãe em uma entidade assistencial recém criada pelo governo.

A mãe foi seduzida por uma propaganda governamental que dizia: “Febem o melhor lugar do Brasil. Aqui seu filho sai médico, engenheiro ou advogado”. A pobre lavadeira que mal tinha o que dar de comer aos filhos, confiante que o filho teria um futuro melhor entregou a criança.

Ela acreditou estar, assim, garantindo um futuro melhor para seu filho. A realidade na instituição é diferente do que se promovia pela propaganda na TV; e Roberto, aos poucos, perde a esperança. Aos treze anos, após incontáveis fugas, ele é classificado como ‘irrecuperável’, nas palavras da diretora da entidade.

Contudo, para a pedagoga francesa Margherit Duvas (Maria de Medeiros), que vem ao Brasil para o desenvolvimento de uma pesquisa, Roberto representa um desafio. Determinada a fazer do menino o objeto de seu estudo, tenta se aproximar dele. O garoto em princípio reluta, mas, depois de uma experiência traumática, procura abrigo na casa de Margherit.

O filme é recheado de desafios é uma história que convivemos na realidade diária de nossas vidas. Parte que me chama bastante atenção é um dialogo entre a diretora da Febem e a Francesa que resolve adotar a criança.

Diretora: O Roberto teve sorte.

Francesa: Não, Roberto não teve apenas sorte, foi trabalho, eu sabia que um menino de 13 anos não poderia ser considerado irrecuperável.

Diretora: O seu trabalho foi fazer o papel de mãe, levou o menino para casa, deu roupa, comida e carinho. Mas aqui, não temos estrutura e condição de criar esses meninos como se fossem filhos. Isso aqui é uma guerra diária.

O que fica bem claro a falta de investimentos e iniciativas para aplicação de políticas publicas e preparo. Vejo que é uma guerra que já começou perdida, porque quando uma mãe entrega um filho no lugar desses, ela já perde a guerra para a pobreza. Mesmo a família esperando que se faça milagre, a verdade é que milagres só acontecem de vez em quando.

No filme Roberto teve sorte, mas poucos, bem poucos têm a mesma sorte. O ex-menino de rua formou-se em pedagogia e fez pós-graduação em Literatura Infantil. Hoje ele é considerado um dos dez maiores contadores de história do mundo. Ele adotou treze crianças, todos ex-meninos de rua, que hoje formam sua família.

Ele também voltou a sua antiga casa e reencontrou a mãe, que ainda vivia na mesma situação. Cuidou dela até 2006 quando ela morreu. Linda história, vale à pena assistir!

Lílian Guimarães.

10 Comentários em "Vale à pena assistir!"

  1. Anônimo Falou:

    Eu dormir nos primeiros 20 minutos, mas irei locar e ver resto do filme!

    Anônimo Falou:

    Eu tbm dormi, mas hj terminei de assistir e realmente é muito bom. Assista vc vai gostar. Lílian Guimarães. Obs: Não to conseguindo login pra comentar.

    Anônimo Falou:

    Lili pq não consigo colocar meu usuário no comentário.Dá uma olhada na tua configuração. bj. Renato.

    Anônimo Falou:

    Esse filme é show! Caraca assisti duas vezes. Ducaralho teu post sobre o filme. Martin.

    Anônimo Falou:

    Tu tá aí né!? Eu sabia, fomos aí, batemos, gritamos, passamos a maior vergonha e tu não abriu. Pq não convidou a gente pra assistir filme contigo? Eita tu tá q tá hein! Chata! Me empresta esse filme, quero ver.

    Anônimo Falou:

    lindo, lindo, lindo o filme. teu texto tbm, um dia escrevo assim. Janaina.

    Anônimo Falou:

    ANDA ASSISTINDO MUITO FILME NÃO É? SE QUISER COMPANHIA, ADORO FILMES E TENHO MUITOS EM CASA. ADMIRO O JEITO QUE VC ESCREVE, SEMPRE FICO LENDO TODAS AS POSTAGENS, SEJA AS MAIS NOVAS OU AS MAIS ANTIGAS. GOSTO DE OLHAR SUAS FOTOS TBM, ME INSPIRAM. PARABÉNS PELA MULHER INTELIGENTE, LINDA, COMUNICATIVA, HUMILDE, CARINHOSA E AMIGA QUE ÉS. EMERSON.

    Anônimo Falou:

    Lílian bcana o post. Márcia.

    Anônimo Falou:

    Admiravel loira!

    Anônimo Falou:

    Gosto dessa visão sua. Tá faltando cadastrar os logins. Penei pra postar o comentario, o q tá havendo. Se quiser ajudo vc a ajeitar. Vou mandar uma lista de filmes pro seu e-mail. To esperando me adicionares viu! Cássio.

Postar um comentário

Comente