Eu chorei, ri, chorei, ri e chorei... chorei... chorei...

“Por que eu gosto de alguém que eu sei que não vai ficar comigo? Será que é porque eu tenho a esperança de estar enganada? Por que sempre que ele faz alguma coisa, que fica claro, que não se importa comigo, eu ignoro? E quando age de uma forma boa, ele me reconquista? E daí, vivo esquecendo a idéia de que ele nunca vai ficar comigo? Milhões de perguntas... Sem resposta.


Nós sabemos que eu preciso deixar de amar você! Eu tenho que ser a protagonista da minha própria vida!

Acontece que ele não me amava como eu esperava, e o que eu estou querendo dizer, é que eu entendo o que é se sentir a menor e a mais insignificante criatura do mundo. Isso faz você sentir dores em partes que nem sabia que existiam no corpo. E não importa o que eu faça, a academia que eu freqüente, quantas taças de cerveja eu tome, porque mesmo assim, vou para cama, todas as noites, pensando em cada detalhe, imaginando o que fiz de errado, ou como posso ter interpretado mal. E quantas vezes imaginei que poderia ser feliz? Às vezes até consigo me convencer de que ele em um passe de mágica virá a minha porta, será?

Depois de tudo isso, demore o tempo que tem que demorar, tenta-se ir para um lugar novo e até conhecer pessoas novas que façam você se sentir valorizada, para que os pedacinhos da sua alma parem de se dissipar“... Trecho do filme “O Amor não tira férias”, em que Kate Winslet, desabafa todo seu sofrimento com Jack Black, pelo amor impossível que senti por uma pessoa. Lindíssimo...

Não tem como não se emocionar, “O Amor não tira férias” é uma perfeita comédia romântica. Pode parecer piegas, mas a gente acaba se identificando com as histórias vividas pelos casais. Eu me vi em várias situações. Acabamos nos envolvendo, a gente torce, ri e até chora.

O que gostei também que não é um filme cheio de clichês. São pequenos detalhes do filme que nos fazem mergulhar em um universo envolvente, uma viagem em nosso interior. A soma da realidade e dos desejos.

Vale muito à pena assistir!
 
Lílian Guimarães.




3 Comentários em "Eu chorei, ri, chorei, ri e chorei... chorei... chorei..."

  1. Anônimo Falou:

    Lílian esse filme é realmente incrivel! Quando estamos sensiveis então, aí que ele se torna ainda mais tocante. Deu vontade de assistir novamente. Boa dica. Larissa.

    Anônimo Falou:

    Lindo demais!

    Anônimo Falou:

    Não chore, existe muita gente q gostaria de cuidar desse coração. Alex

Postar um comentário

Comente