Cineminha em casa...

Sempre gostei de assistir filme, mas nos últimos meses, a vida tem sido muito corrida, e sempre fico adiando a ida no cinema ou até mesmo alugar um bom filme e assistir em casa.

Ontem finalmente pude fazer isso, não aluguei, um amigo me emprestou alguns filmes que já são bem conhecidos, creio que a maioria já tenha assistido.

O interessante dos filmes, seja qualquer tipo de gênero, é que sempre tiramos alguma lição ou até mesmo nos serve de reflexão ou estímulo, pelo menos comigo é assim! Adoro viajar nas histórias e sempre tiro algo de bom em tudo que assisto.

E se o filme vem acompanhado de uma boa companhia, a noite fica ainda mais agradável.  A sensação é que dá mais emoção, sempre existe aquele suspiro ao lado, as cenas ficam mais emocionantes, e no final do filme podemos discutir os pontos positivos e negativos, dentro da visão de cada um. 
 
 
 O primeiro filme da noite foi “O céu não pode esperar”, o gênero é comédia e a maioria das pessoas que conversei sobre o filme disseram que não gostaram. Aí se comprova as diversas visões sobre o mesmo produto.

Em “O céu não pode esperar”, Paul Zadzik (Rob Schneider), tinha problemas demais. Além de ter sido ser abandonado pela esposa, odiado pelo irmão e ter que conviver com a mãe louca, ele mal consegue vender um único carro na concessionária em que trabalha.
 O louco e surpreende do filme é que quando estava prestes a desistir de tudo, e planeja suicídio, um grupo de sul-americanos (uma mistura de índios e misticismo) bate na sua porta jurando que ele é “O escolhido" para salvar a humanidade. Tipo quando acontecem coisas inesperadas em nossas vidas, que no inicio não sabemos o significado e só entendemos no futuro!
 
Paul hesita, mas acreditando que nada poderia ficar pior, ele logo se convence de que pode ser o responsável pela salvação. E dentro daquele novo universo que chega de surpresa na vida dele, ele tira inúmeras lições, principalmente a hora de tomar uma decisão difícil, para que assim possamos nos dar a chance de recomeçar nossas vidas. 
 
 
O exemplo claro foi ele não aceitar voltar com a mulher que o traia, que era responsável pela maior parte do sofrimento dele. Determinado, ele resolveu dar uma nova chance ao seu coração e recomeçar, ressurgindo das cinzas, como uma fênix, pássaro que é utilizado como símbolo no filme ou a águia que se recolhe durante um tempo, arranca suas penas e bico e ressurgi transformada para o recomeço.

Enfim, cada um de nós, tem sua carga de problemas. O importante é superá-los, não se entregar ao desespero. Temos de imitar a fênix sair das cinzas para a vida, afinal nunca é tarde para recomeçar. Uma viagem né!? Sou assim mesmo.

O segundo filme da noite foi “Na trilha do Assassino”, o gênero thriller, tem como elenco Russell Crowe, Jon Foster, Laura Dern, Sophie Traub, Alexis Dziena, Arija Bareikis.

Lori Cranston (Sophie Traub) é uma adolescente confusa que, ao fugir de casa, se envolve com Eric (Jon Foster), rapaz recém liberado de um centro de detenção com um passado marcado por violência. Juntos, eles embarcam em uma viagem de forma descontrolada e doentia. Enquanto isso, o policial Cristofuoro (Russell Crowe), que não acredita na reabilitação de Eric, começa a segui-lo para expor quem ele realmente é.

Confesso que eu esperava mais do filme, principalmente pelo ator Russell Crowe, mas a história é válida. Um trecho que me chamou bastante atenção foi à parte em que este mesmo ator diz: “Existem dois tipos de pessoas, aquelas que procuram o prazer e aquelas que fogem da dor. Talvez seja verdade, não sei. O que eu sei é que o prazer ajuda você esquecer, e a dor obriga você a ter esperança. Você diz a si mesmo, isso não pode durar, hoje pode ser diferente e vai ser diferente”.

Sem dúvida a mensagem é verdadeira, cinema é isso: lições, despertar para vida, enxergar a realidade, viajar nas emoções e refletição!

Por favor, deixem dicas de bons filmes nos comentários.

Lílian Guimarães.

13 Comentários em "Cineminha em casa..."

  1. Anônimo Falou:

    Esse filme do céu aí é uma bomba!
    Como dica eu sugiro Bravura Indômita

    Carlos Lima Falou:

    Lilian, parabéns! Vc tem uma sensibilidade incrível. Anos atrás eu via a vida dessa forma: queria tirar lições de cada filme que via, queria aprender com cada história e aplicar tudo na minha realidade. Mas de reprente o jornalismo me levou para uma realidade totalmente diferente, onde se perde totalmente essa sensibilidade, onde se deixa de acreditar em muitas coisas. Obrigado por me fazer refletir e relembrar o quanto é importante tirar lições. Adoreei mesmo! Outra coisa: Sou viciado em filmes, tem meses que eu gasto muito dinheiro com isso e decidi me controlar... Já vi muitos, de todos os gêneros, mas gosto daqueles cujo drama envolvem pais e filhos... O primeiro que me vem a cabeça para te sugerir é: Um Olhar do Paraíso. Existem melhores, mas esse é especial, se vc já viu vê de novo. Sabe o que eu aprendi com esse? Aprendi o quanto um pai pode amar e sofrer por uma filha que morreu, o quanto uma criança pode ser meiga e disciplinada e quanta maldade há no mundo. Beijos, tudo de bom.

    Creio muito que depende da sensibilidade e visão de como se enxergam as coisas. Não diria que é uma bomba, sem dúvida não é dos melhores, mas tem sim suas qualidades e pode-se tirar proveito do filme de forma positiva. O problema é que as pessoas enxergam apenas numa direção, na vida existe uma regra que é simples, mas nem todos conseguem seguir, que é olhar o todo, que envolve tudo que tá ao seu redor! Mas mesmo assim obrigada pela colaboração, vou alugar sua sugestão de filme senhor anônimo.
    Lílian Guimarães.

    Carlos, no meu ponto de vista a sensibilidade é um ponto crucial na personalidade de uma pessoa. Até mesmo na nossa profissão, como jornalistas, a sensibilidade é fundamental para compreendermos um fato e escrevermos um boa matéria, até mesmo nos momentos em que ficamos desacreditados. Amigo pode ter certeza que podemos tirar proveito de qualquer filme que assistimos, até mesmo dos desenhos animados. A sua indicação é muito boa, já ssisti esse filme, mas deu até vontade de alugar novamente. Obrigado meu querido pela colaboração.

    Anônimo Falou:

    Tenho filmes ótimos em casa, tbm adoro cinema. Vou te ligar pra te emprestar alguns que vc vai amar. Júnior.

    Anônimo Falou:

    MINHA LINDA LEMBRO O QUANTO VC ESCREVIA ANTES SOBRE OS FILMES QUE VC ASSISTIA, QUE BOM QUE VOLTOU A FICAR LIGADA NA TELINHA. INDICO PRA VC O SOL DE CADA MANHÃ. MUITO BOM O FILME! AGORA TEM QUE ARRUMAR UM NAMORADO, PQ ASSISTIR FILME SOZINHA É RUIM DEMAIS. BJ DO AMIGO SÉRGIO.

    Anônimo Falou:

    Cada um tem uma maneira de vê a vida. Há várias maneiras de conta a mesma história. Eu olhando o todo do filme, como fotografia, música, enredo...(essas coisas todas) não me atraiu, principalmente para um gênero como comédia. Tem algumas cenas engraçadas, mas são poucas. Volto a bater a mensagem é boa a forma que utilizou que não foi a melhor. Então na minha escala de avaliação é uma bomba. Mais também respeito a sua opinião.

    Também acredito que a pessoa tem que está envolvida, de repente eu queria sorrir, apenas sorrir e não ter uma lição de vida!.

    Anônimo Falou:

    Essa Guimarães... Lembro o quanto tu me pertubava pra assistir Cartas para Julieta, até que assisti e chorei horrores. Amiga me convida quanto fores ver filme, sei é melhor a companhia de um namorado, mas já que vc tá solteira, uma amiga vale, ou então vou me juntar com o Sérgio pra abrir o concurso pra arranjar um love pra ti. kkkkk... Brincandeira Lili, sei que vc tá solteira por opção, pq dps da declaração que recebeste e não deste minima, tá sozinha pq quer!? Ei não briga comigo, aí vai uma indicação pra tu não ficar com raiva. Aluga Contador de histórias. É bacana! bj, bj, bj Denise.

    Anônimo Falou:

    Eita... Virou diário foi Denise? Não queima o filme da menina, ela quer ficar solteira, deixa ela. Mas não posso perder a oportunidade, que foi bonito foi. O último fim de semana ficará marcado na memória daqueles que assistiram a cena de um homem apaixonado pedindo um chance. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.... Alex

    Denise e Alex não to vendo graça nenhuma na palhaçada!

    Senhor Anônimo, visto pelo ângulo que o senhor colocou realmente tem toda razão. Na verdade é pq sou realmente muito sentimental, me emociono até com desenho animado. Mas enfatizo que não alugo filmes pra ter lição de vida, mas as vezes a história contada se encaixa com determinado momento que estamos vivendo, apenas isso, por isso que tiramos proveito de tudo na vida. Agradeço sua colaboração e tbm respeito seu ponto de vista. Continue sempre colaborando com este espaço. Lílian Guimarães.

    Anônimo Falou:

    Indico Nova York eu te amo

    Anônimo Falou:

    Gata assista o discurso do rei. É inteligente como vc! Marcelo.

Postar um comentário

Comente