Que coisa feia!

No jargão jornalístico, “barriga” significa um erro de informação publicado; um erro grave cometido na edição. O veículo de comunicação “come barriga”, “dá barriga”, “leva barriga” ou “faz barriga” quando publica erro.

Geralmente a “barrigada” acontece por um descuido editorial, quando a informação apurada não foi suficientemente checada.

Mas qual o nome que se dá quando um veículo engana deliberadamente o seu público só para causar polêmica ou uma admiração fantástica? – Você pode chamar do que quiser: brincadeira, piada, humor, etc. Eu prefiro chamar de BABAQUICE, CANALHICE, DESONRA, ENGANAÇÃO, ENGODO, FRAUDE, IDIOTICE, LOGRO, MÁ-FÉ, MENTIRA, MOLECAGEM, PALHAÇADA, enfim, tudo que um jornalismo dito SÉRIO não pode ter.

O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, de 2007, é bem claro e específico quanto à conduta profissional do jornalista:

- O compromisso fundamental do jornalista é com a verdade no relato dos fatos, deve pautar seu trabalho na precisa apuração dos acontecimentos e na sua correta divulgação (Art. 4º).

- O jornalista não pode divulgar informações de caráter mórbido, sensacionalista (Art. 11; inciso II).

- O jornalista deve buscar provas que fundamentem as informações de interesse público (Art. 12. Inciso II).

- O jornalista deve rejeitar alterações nas imagens captadas que deturpem a realidade, sempre informando ao público o eventual uso de recursos de fotomontagem, edição de imagem, reconstituição de áudio ou quaisquer outras manipulações (Art. 12. Inciso V).
 
A edição de ontem (27 de junho de 2011) do programa Bronca Pesada, exibido pela TV Tucujú, Canal 24, aqui em Macapá-AP, ao que parece, pouco se importa com a ética jornalística. O programa exibiu uma matéria de um suposto “Homem-cobra”, isto é, uma cobra com cabeça e braços humanos, que teria sido encontrada às margens de um rio numa comunidade do interior do Estado, nos arredores do município do Amapá.

É importante esclarecer aos caros leitores que eu próprio não assisti ao programa – aliás, não assisto nunca por se tratar de um gênero de programas televisivos que eu particularmente não gosto. Fiquei sabendo do tal vídeo por boatos já amplamente espalhados pela cidade, por gente inocente e crédula. Os boatos são imprecisos quanto à localidade aonde o tal animal teria sido encontrado, podendo ter sido em uma comunidade do município do Amapá, Mazagão Velho, Santana, Bailique, etc.

Buscando me inteirar sobre tal “fato” curioso, eis que descubro a VERDADE!

O vídeo que teria sido supostamente filmado por um morador local, no município do Amapá, na verdade é um vídeo filmado no povoado de Pahang, na Malásia. O vídeo mostrado no programa Bronca Pesada não tem o áudio original, mas uma inserção de efeitos sonoros cômicos, como os uivos de um lobisomem. No vídeo original, ouve-se claramente pessoas falando em malaio. Com isso, o programa Bronca Pesada, já transgride o Art. 12. Inciso V do Código de Ética, conforme visto anteriormente.

O que dá credibilidade ao vídeo é o fato de que as pessoas ao redor do suposto animal não têm o rosto mostrado. Veja o vídeo original em < http://sorisomail.com/videos-comicos/21579.html>

O programa em questão continua errando e enganando seu público quando não se compromete com a verdade no relato dos fatos, quando divulga uma informação de caráter mórbido e sensacionalista e quando não se preocupa em buscar provas que fundamentem as informações veiculadas.

O tal ser bizarro mostrado no vídeo da Malásia e mostrado no programa Bronca Pesada como tendo sido gravado no Amapá, na verdade trata-se de uma obra de arte de um artista norte-americano. Isso mesmo, uma obra de arte!

O blog O Grito Notícias (http://www.ogritonoticias.blogspot.com/2011/06/juan-cabana-arte-monstros-escultura.html), no último dia 20 de junho, publicou uma pequena mostra dos trabalhos do artista plástico norte-americano Juan Cabana que produz obras inspiradas na criptozoologia (uma vertente da ficção científica).

O artista utiliza matérias-primas orgânicas em suas obras e as fotografa em ambientes naturais como praias, pântanos, encostas de rios, etc. A idéia do artista é protestar contra a degradação do meio ambiente, mostrando como num futuro próximo essas mudanças bruscas no ambiente podem gerar criaturas com mutações genéticas bizarras como estas.

O programa Bronca Pesada errou feio e agora o que lhe resta é se retratar diante seu público, promovendo a retificação das informações que se revelem falsas ou inexatas conforme determina o Art. 12; inciso VI do nosso Código de Ética.

http://avidefoda.wordpress.com/

0 Comentários em "Que coisa feia!"

Postar um comentário

Comente