Alerta: Prostituição toma conta das ruas de Macapá

Macapá há muito tempo, está longe de ser a cidade pacata de anos atrás. A violência tomou conta das ruas e ganhou as páginas de destaque nos jornais. Mas outro fator tem assustado a população é o crescimento descontrolado da prostituição em todo Estado.

Na capital a exposição é comum, imitando os grandes centros do País. Durante a madrugada nas esquinas de bairros centrais e periféricos, nos deparamos com a oferta de sexo de todos os tipos e valores.

Na última terça-feira, 26, percorri algumas ruas como Avenida Procópio Rola com Jovino Dinoa e Leopoldo Machado com Duque de Caxias, onde mulheres e homossexuais dividem espaço na espera de um programa.

Ao abordar os profissionais do sexo, muitos se distanciaram e evitaram conversar sobre o assunto. Consegui aproximação apenas com DJL, homossexual conhecido na noite como “Ramona”. O valor do programa de duas horas, R$80. 

Perguntei a “Ramona”, o que motivou a opção de vida. A história triste revelou traumas de uma infância sofrida, adolescência de preconceito e o abandono da família.

Hoje aos 17 anos, DJL ganha à vida nas ruas de Macapá. Conta que durante a semana faz 1 programa por noite. No fim de semana pelo menos 2 ou 3 em cada madrugada.

Com uma renda mensal de mais de R$2 mil, “Ramona”, diz viver muito bem, já que sem estudo não ganharia esse valor em nenhum outro lugar. 


O que mais assusta no relato do homossexual é quando ele afirma que a clientela que mais o procura, pasmem, são os homens casados!

A atividade que aparentava timidez anos atrás, hoje cresce de maneira desenfreada. O ciclo pelo vicio ao dinheiro “fácil”, tem atraído meninas que nem atingiram os 15 anos de idade. A comprovação que não existe qualquer perspectiva de vida para essas pessoas. Mesmo estando à mercê de doenças e da violência.

O descaso beira o absurdo, ainda que esteja explicito que é necessário a reação para aplicação de políticas públicas que ofereça uma oportunidade de vida digna a esses seres humanos. Parece que muitos não enxergam os rumos que este cenário pode levar.

O que é prostituição?

De acordo com informações da Fundação em Defesa dos Direitos Humanos (FDDH), a sensibilidade sobre o que se considera prostituição pode variar dependendo da sociedade, das circunstâncias onde se dá e da moral aplicável no meio em questão.

A prostituição é reprovada em diversas sociedades, pela disseminação de doenças sexualmente transmissíveis (DST), por causa de adultério, e pelo impacto negativo que poderá ter nas estruturas familiares (embora os clientes possam ser ou não casados).

Apesar de fortemente disseminada no senso comum, a idéia de que a prostituição seja a profissão mais antiga do mundo não encontra qualquer fundamento histórico ou antropológico, para que se justifique o crescimento descontrolado deste ato inconseqüente.

Lílian Guimarães. 

2 Comentários em "Alerta: Prostituição toma conta das ruas de Macapá"

  1. Olha a Ramona KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ela fica no canto da minha escola de noite :p

    Anônimo Falou:

    o blog só precisa de mais divulgação, mas essa ''matéria'' está ótima, parabéns

Postar um comentário

Comente