Tolerância Zero!


 Obs: Desculpem pela imagem, mas temos que divulgar esse absurdo. Coloquei a faixa para minimizar a atrocidade que a imagem revela. 


Mais de 130 milhões de mulheres em todo o Mundo já sofreram mutilação genital, segundo a Organização Mundial de Saúde. Já o Conselho da Europa estima que vivam na Europa 500 mil mulheres mutiladas e estejam em risco 180 mil todos os anos.

O fato de, na grande maioria dos cerca de 30 países onde está enraizada, a prática ser perpetrada por mulheres significa apenas que elas são veículos de uma cultura que as subjuga, as anula, as viola.




O pior de tudo é que no Brasil, onde menos esperávamos, foram contabilizados 17 casos deste tipo de violência. Nove foram registradas em localidades no interior do Maranhão (Paredão do Diabo, Mata Adentro e Porto do Céu). E oito no interior do Rio Grande do Sul, onde não foi divulgado o nome das localidades.O que não se sabe também é o motivo. Falaram em ceitas, cultura indigena (o que nunca tive conhecimento) entre outros fatos.

Promover uma “mudança de valores e de práticas” é o objetivo central do Governo com o II Programa de Ação para a Eliminação da Mutilação Genital Feminina 2011-2013, lançado no mês em que se celebra o Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina.



Elza Pais, secretária de Estado da Igualdade, sublinha que o respeito por outras culturas “não significa a aceitação de práticas tradicionais nocivas” e que a mutilação genital feminina (MGF) constitui uma “atroz violação dos direitos humanos”.

O primeiro programa de ação “foi um plano muito curto, daí a necessidade de elaborar um segundo, que acompanhe o IV Plano Nacional para a Igualdade todo”, explicou Elza Pais, durante a apresentação do II Programa, na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa.

Colocado o tema na agenda, é preciso agora “consolidar a estrutura de referenciação” para sinalizar “eventuais casos” de MGF em todo mundo e alargar as linhas telefônicas de apoio de emergência de saúde, imigração, sexualidade ou combate à violência doméstica, às situações de MGF.

Fonte : Pela não violência contra as mulheres.

1 Comentários em "Tolerância Zero!"

  1. Anônimo Falou:

    Isso é um absurdo! Como vivemos com coisa desse tipo ainda. #revoltante

Postar um comentário

Comente